Organizações doadoras demonstram interesse por programa de cooperação sul-sul em educação

Na manhã desta quinta-feira (1/3), a delegação do PCSS-Lusófonos (Programa de Cooperação Sul-Sul com Países Lusófonos) se reuniu com várias organizações que apóiam ou desenvolvem projetos de educação em Angola. A atividade faz parte da visita que o Programa faz a Angola desde segunda-feira (27/2).

Participaram como convidados da reunião de hoje, no hotel Fórum, representantes da Embaixada do Japão, da Fundação Open Society para o Sul da África, do IACV (Instituto de Apoio às Crianças Vulneráveis), da Unesco e do Unicef. O evento foi organizado pela Rede EPT (Educação para Todos) Angola, pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação (Brasil) e pela OSF (Open Society Foundations), parceiras responsáveis pelo PCSS.

O objetivo da reunião foi apresentar o Programa de Cooperação Sul-Sul com Países Lusófonos a organizações que podem se tornar parceiras na iniciativa. O intuito do Programa é fortalecer a atuação da sociedade civil dos países lusófonos na incidência política em defesa do direito à educação.

Para Vitor Barbosa, presidente do comitê diretivo da Rede EPT Angola, o PCSS-Lusófonos se constitui no exato momento em que países, por meio dos Estados, dos empresários e de outros setores se reúnem em torno da lusofonia. “Temo que se não apoiarmos a interlocução da sociedade civil na lusofonia vamos continuar apoiando a interlocução apenas entre as elites, sejam governamentais ou empresariais, mantendo uma camada enorme e invisível de excluídos”, analisou.

A dirigente da Campanha brasileira, Margarida Marques, ressaltou que Angola é país signatário da Convenção dos Direitos da Criança e do Adolescente e que o direito à educação não é um favor prestado pelo Estado, mas um direito humano. Para ela, uma grande contribuição da cooperação lusófona em torno do direito à educação seria possibilitar o acesso à informação e fortalecer as competências das organizações de base. “E essa compreensão deve estar enraizada na população, para que reivindique seu direito. Portanto, é preciso fortalecer as populações locais para que sejam sujeitos e tenham voz”, defendeu.

Os convidados presentes falaram sobre o trabalho que desenvolvem em Angola e demonstraram interesse pela continuidade do PCSS-Lusófonos.

Coletiva de imprensa – Amanhã (sexta-feira 2/3) acontecerá coletiva de imprensa com a mídia angolana, com foco no balanço sobre a missão brasileira no país, impressões dos encontros e expectativas do Programa de Cooperação Sul-Sul com Países Lusófonos. A coletiva será das 9h às 11h, no Fórum Hotel Angola, localizado na Travessa Ho Chi Min, s/n – Alvalade, em Luanda.

(Por Iracema Nascimento)

Anúncios

Publicado em 01/03/2012, em Angola. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: