Arquivo da categoria: Moçambique

Posts sobre ações, atividades e contexto em Moçambique.

PCSS-Lusófonos seleciona consultores para pesquisa sobre educação nos Palop’s

O Programa de Cooperação Sul-Sul pelo Direito à Educação entre Países Lusófonos (PCSS-Lusófonos) selecionará dois consultores para apoiar a realização de diagnóstico da situação da educação nos países participantes do Programa – Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

A ação é parte do Programa que vem sendo implementado desde novembro de 2010 pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, em parceria com o Programa de Apoio à Educação da Open Society Foundations (ESP-OSF), e almeja contribuir para a ampliação do acesso à educação e para a melhoria da qualidade da oferta desse direito nos países participantes por meio do fortalecimento da capacidade de incidência política da sociedade civil sobre as políticas do setor.

O diagnóstico sobre a situação da educação é uma das atividades previstas para a fase 02 do PCSS-Lusófonos, e tem por objetivo gerar informações novas e atualizadas que sirvam de subsídios para o desenvolvimento e o fortalecimento de ações de incidência política das redes da sociedade civil. O PCSS-Lusófonos pretende produzir, junto com as redes nacionais de Educação para Todos (EPT), uma visão ampla e crítica sobre o direito à educação e gerar novas ferramentas para o monitoramento das políticas governamentais na área, colaborando para um balanço do Programa EPT em cada um dos países.

A pesquisa será desenvolvida em parceria com a Unilab (Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira), via programa ECOSS (Centro de Referência em Educação de Jovens e Adultos e Cooperação Sul-Sul), grupo com o qual será produzida uma base comum de pesquisa sobre cada um dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (Palop’s). A partir do diálogo entre a equipe do Programa, as redes nacionais, consultores e parceiros, o PCSS-Lusófonos seguirá com uma pesquisa temática em cada um dos países participantes e o ECOSS com uma pesquisa sobre Educação de Jovens e Adultos.

Serão selecionados dois consultores para apoiar a realização do diagnóstico. Um consultor se dedicará a Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, e o outro atuará em Angola e Moçambique.

Os candidatos deverão enviar currículo, indicação de referências e carta de candidatura à vaga até 06 de maio aos cuidados de Mila Dezan, pelo email lusofonos@campanhaeducacao.org.br com o título Consultoria para o PCSS-Lusófonos.

Para saber mais sobre o PCSS-Lusófonos acesse https://cooplusofonoseducacao.wordpress.com/sobre

Para conhecer outras ações da Campanha Nacional pelo Direito à Educação acesse www.campanhaeducacao.org.br

EditalConsultoresLusofonos

Anúncios

12 mil crianças sem aulas em Moçambique

12 mil crianças sem aulas em Moçambique

Chuvas impedem aulas e distribuição de materiais na província de Sofala

 

Fortes chuvas em Moçambique causaram enchentes e comprometeram as aulas. Pelo menos nove escolas em vários pontos da província de Sofala foram diretamente afetas pelas chuvas, com destruição parcial ou total das salas de aula. No momento, mais de 12 mil estudantes da primeira à sétima série estão sem aulas na província.

As cheias e destruição de várias infraestruturas e vias de acesso afetam diretamente o direito à educação. No distrito de Búzi, cerca de 1120 alunos da Escola de Amparo ainda não receberam os livros escolares para o ano letivo devido os cortes de comunicação provocados pelas chuvas.

Desastres dessa ordem desnudam uma situação comum em todo o mundo; “O que está em jogo é o país ter políticas públicas de precaução, que garantam a continuidade do direito à educação das crianças em quaisquer circunstâncias, inclusive nas emergências”, afirma Iracema do Nascimento, da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

A informação é de Idite Joaquim, do Movimento de Educação para Todos de Moçambique (MEPT), rede participantes do Programa de Cooperação Sul-Sul entra Países Lusófonos e refere-se somente a uma das doze províncias existentes do país: “Isso deve ser discutido e até que ponto essas políticas (de prevenção à desastres e de garantia de funcionamento das escolas) são efetivamente implementadas. Moçambique tem boas políticas públicas mas, da teoria à prática, há uma longa distância”.

Tomadores de decisão e membros das comunidades chamados a cometer-se com a causa da alfabetização da Mulher

Maputo, 28 de Março de 2011– A Associação PROGRESSO no âmbito do projecto FELITAMO, financiado pela União Europeia e implementado pela dvv international, realizou no passado dia 08 de Março do ano em curso, na Aldeia de Namaua, Distrito de Mueda, Provínica de Cabo Delgado, uma acção de advocacia sob lema “ Alfabetizar a mulher é educar uma sociedade”.

A acção tinha como objectivo sensibilizar os tomadores de decisão na área da alfabetização á nível local, líderes comunitários, autoridades locais, homens, mulheres e a comunidade no geral sobre a importância da Alfabetização e a necessidade de um maior envolvimento destes nas actividades de alfabetização com enfoque na mulher nos Distritos de Muidumbe, Nangade e Mueda.

Perante este chamamento, os líderes comunitários de Ntamba em Nangade, Matambalale e Namakande em Muidumbe, assumiram o compromisso de trabalhar nas respectivas comunidades para que o movimento de alfabetização seja dinamizado, através de uma campanha de registo de todas as pessoas que não sabem escrever e ler, tanto na sua língua materna assim como em Português.

Várias alfabetizandas dos distritos de Mueda, Muidumbe e Nangade, participaram no concurso de escrita e leitura em Shimakonde, como forma de exortar as outras mulheres a vencerem o complexo de inferioridade.

Para além do concurso de escrita e leitura, foram realizadas diversas actividades de caracter cultural que transmitiram mensagens sobre a importância de alfabetização de jovens e adultos, com enfoque para a mulher.

O evento mobilizou cerca de mil pessoas provenientes dos distritos de Mueda, Nangade e Muidumbe com destaque para os directores, técnicos da Alfabetização e Educação de Adultos dos Serviços Distritais Educação Juventude e Técnologia, líderes comunitários, alfabetizadores, supervisores, alfabetizandos e representantes dos foruns comunitários.

De referir que esta actividade foi co-financiada pela Open Society Initiative of Southern Africa OSISA.

Publicado por: DVV International

PCSS-Lusófonos visita Moçambique

A partir deste sábado, 19/11, a Campanha Nacional pelo Direito à Educação do Brasil estará em Moçambique, dando continuidade à série de visitas que teve início em outubro aos países lusófonos africanos.

A missão faz parte das atividades do PCSS- Lusófonos (Programa de Cooperação Sul-Sul com Países Lusófonos), iniciativa da Campanha Brasileira em parceria com a OSF (Open Society Foundations). Em Moçambique, o Mept (Movimento Educação para Todos) é a organização engajada no Programa e anfitriã da missão.

Veja aqui a programação

A missão será realizada entre os dias 19 e 24 de novembro e, neste período, haverá reuniões com o Ministro da Educação de Moçambique, Zeferino Martins, com organismos das Nações Unidas (UNICEF e Unesco), com organizações  ligadas às áreas de educação, desenvolvimento social e direitos humanos, visitas a unidades escolares, entre outras atividades. Na terça-feira, 22/11, está prevista uma coletiva de imprensa para dar aos interessados mais detalhes sobre os objetivos do Programa e da visita a Moçambique.

Em Moçambique, a Campanha Nacional pelo Direito à Educação do Brasil estará representada por seu dirigente, Avanildo Duque. Avanildo é agrônomo, gestor ambiental e mestre em geografia, com pós-graduação em cooperativismo. É coordenador geral de programas e coordenador temático de educação da ActionAid Brasil, representando a mesma no Comitê Diretivo da Campanha Brasileira pelo Direito à Educação. Atua como consultor metodológico na área de planejamento estratégico e é consultor na área de avaliação institucional de projetos voltados para o fortalecimento da agricultura familiar e agroecologia, desenvolvimento comunitário e mulheres, crianças e adolescentes, educação popular em saúde, entre outras atividades. A delegação ainda se compõe de Maitê Gauto, assessora de projetos da Campanha Brasileira, e de Trine Petersen, coordenadora de programas da OSF.

Contatos

No Brasil – Campanha Nacional pelo Direito à Educação – Brasil

Telefone/fax: +5511 3159-1243

Telemóvil: +5511 8793-7711

E-mail: lusofonos@campanhaeducacao.org.br

Em Moçambique – Mept (Movimento Educação para Todos)
Telefone: +258 21 405532
Fax: +258 21 490041
Email: meptdinis@tdm.co.mz