Cabo Verde

Pequeno histórico: Cabo Verde é uma república democrática semipresidencialista (parlamentarismo mitigado), com regime multipartidário. O país tornou-se independente em 1975 e, atualmente, tem cerca de 275 mil habitantes, dos quais 63% são  analfabetos. O país é um estado arquipélago com uma economia subdesenvolvida e que sofre com uma carência de alternativa de recursos e com o crescimento populacional. Os principais meios económicos são a agricultura, a riqueza marinha do arquipélago, a prestação de serviços que corresponde a 80% do PIB, e mais recentemente o turismo que tem ganhado crescente relevância.

Organização do sistema educativo nacional:

As categorias de ensino no país são:

  •  Pré – escola (3 a 5 anos de idade)
  • Básico integrado – 1ª, 2ª e 3ª fase (de 6 a 11 anos de idade)
  • Secundário – 1º ,2º e 3º ciclo, podendo ser através da via geral ou técnica (dos 12 aos 17 anos)
  • Ensino superior (a grande maioria dos quadros são formados no exterior)

Desafios na área educacional: Abaixo, é possível pontuar alguns desafios educacionais encontrados pelos cidadãos e cidadãs de Cabo Verde:

  • Quanto às taxas de analfabetismo > 63% da população é analfabeta;
  • Quanto às políticas de inclusão > A equidade de gênero foi alcançada nos espaços políticos e escolares. Nestes últimos, as meninas são maioria e as professoras contam 70% da classe. No entanto, as meninas quando ficam grávidas em período escolar perdem o direito de frequentar a escola até que o bebê nasça. O resultado dessa medida é que as meninas que engravidam acabam por não retornar mais à escola;
  • Quanto ao financiamento > O país aplica cerca de 7% do seu Pib em educação;
  • Quanto o acesso ao direito e a participação social > A geografia do país dificulta a mobilização dos seus diferentes territórios (ilhas). É muito caro se deslocar de uma ilha a outra. Um exemplo desta dificuldade é que, até o momento, a REPT não conseguiu realizar sua assembleia geral;
  • Quanto à formação de professores > Em 1980 foi aprovada a lei n°III /90 que obriga a formação de novos professores. Nesta época, apenas 13,1% dos professores tinham formação específica e, atualmente, o número é de 83,4% de profissionais com tal especialização. Entre as principais conquistas da classe professorada, nos últimos anos, está à obtenção da aposentaria completa, após os 50 anos de idade e o pagamento de 300 euros durante o período de estudos e de 700 euros, logo após a sua formação.
%d blogueiros gostam disto: