Arquivos do Blog

Campanha promove painel sobre cooperação lusófona em educação em fórum na África

Começa nesta terça-feira 22/5 e vai até quinta-feira 24/5, na Cidade do Cabo, África do Sul, o OpenForum 2012, com o tema “Dinheiro, poder e sexo: o paradoxo do crescimento desigual”. Organizado pelas quatro fundações da Open Society na África, o evento reúne ativistas, acadêmicos, artistas, empresários e políticos para formar um olhar crítico sobre os fatores que impulsionam mudanças no continente africano e na forma como eles influenciam a democracia, o desenvolvimento humano, os direitos e as agendas de governança na próxima década. Em particular, o OpenForum  discutirá o papel do Brasil, da China e da Índia como os motores do crescimento econômico no continente e também como atores cada vez mais importantes nos assuntos políticos e sociais dos países africanos.

Na quarta-feira 23/2, a Campanha Nacional pelo Direito à Educação (Brasil) promove um painel sobre cooperação entre Brasil e África para o desenvolvimento educacional, apresentando o caso do PCSS (Programa de Cooperação Sul-Sul) entre Países Lusófonos, desenvolvido pela Campanha em parceria com o Programa de Educação da OSF (Open Society Foundations). O painel vai discutir como a privatização e a financeirização do setor da educação, fenômenos em curso em todo o mundo, podem alcançar ou já estão afetando o bloco de países de língua portuguesa, especialmente na África. Também serão debatidos os limites e desafios da incidência da sociedade civil no desenvolvimento educacional dos países de língua Portuguesa e sua organização como um bloco no contexto global.

Participam da mesa como expositores o secretário executivo da Rede de Educação Para Todos de Guiné-Bissau, Vençã Mendes, o presidente da Rede Angolana de Educação para Todos, Vitor Barbosa, a pró-reitora de ensino de graduação da Unilab (Universidade de Integração Internacional de Lusofonia Afro-Brasileira), Jacqueline Freire, a dirigente da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (Brasil), Cleuza Repulho, e Iracema Nascimento, coordenadora executiva da Campanha. Veja a programação do painel.

Logo após o OpenForum, a Campanha coordenará uma reunião do Programa na Cidade do Cabo, na sexta e no sábado, dias 25 e 26/5. Participam da reunião dois representantes das redes pelo direito à educação de cada um dos seis países envolvidos no Programa: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Veja a lista de participantes e a programação da reunião.

Sobre o Programa – O PCSS-Lusófonos (Programa de Cooperação Sul-Sul com Países Lusófonos) é uma iniciativa da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (Brasil) em parceria com a OSF (Open Society Foundations), com objetivo de fortalecer a atuação da sociedade civil dos países lusófonos na incidência política em defesa do direito à educação. Participam do PCCS-Lusófonos representações de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

Atendimento à Imprensa

No Brasil – Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Jéssica Moreira – Comunicação

Telefone/fax: +5511 3159-1243

Telemóvil: +5511 8793-7711

E-mail: jessica@campanhaeducacao.org.br

Anúncios

Veja a programação da Campanha Brasileira pelo Direito à Educação no Painel do OpenFórum 2012

Painel do Programa de Cooperação Sul-Sul entre Países Lusófonos

OpenForum 2012, Cidade do Cabo, África do Sul

Cooperação entre Brasil e África para o desenvolvimento educacional: o caso do Programa de Cooperação Sul-Sul para o Direito à Educação


23 de maio (quarta-feira), 16h30

Os panelistas irão discutir o potencial estratégico de um bloco lusófono progressista na política de educação para a mudança social, partindo das experiências dos seis países que participam do Programa de Cooperação Sul-Sul entre Países Lusófonos, desenvolvido pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação (Brasil) em parceria com o Programa de Educação da Open Society Foundations. O programa reúne redes da sociedade civil que defendem os direitos educacionais em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

Os palestrantes vão discutir como a privatização e a financeirização do setor da educação, fenômenos em curso em todo o mundo, podem alcançar ou já estão afetando o bloco de países de língua portuguesa, especialmente na África.

Eles também vão discutir a importância, os limites e desafios da incidência política da sociedade civil no desenvolvimento educacional de países de língua portuguesa e sua organização como um bloco no contexto global.

Expositores
Cleuza Repulho, Secretária Municipal de Educação de São Bernardo do Campo (São Paulo, Brasil), presidente da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), integrante do comitê diretivo da Campanha Nacdional pelo Direito à Educação. Graduada em pedagogia e mestre da educação, foi professora universitária e consultora da Unesco no Brasil.

Vitor Barbosa, Presidente da Associação Angolana para Educação de Adultos e da Rede Angolana de Educação para Todos, Concluiu o curso de professor de posto escolar em 1969, depois fez o curso de professor primário e formação superior em psicologia no ISCED de Luanda. Desempenhou várias funções no Ministério de Educação, tendo sido coordenador adjunto da Comissão Instaladora da Inspeção Escolar Nacional.

Vença Mendes, Secretário Executivo da RECEPT-GB (Rede de Educação Para Todos, Guiné-Bissau)

Jacqueline Freire, Pró-Reitora de Ensino de Graduação da Unilab (Universidade de Integração Internacional de Lusofonia Afro-Brasileira). Coordenadora da Rede ECOSS (Centro de Referência de Jovens e Adultos e Cooperação Sul-Sul), envolvendo vários países de língua portuguesa.

Iracema Nascimento (mediadora), Coordenadora Executiva da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, membro do Conselho Deliberativo da Aliança pela Infância (Brasil). Graduada em jornalismo e mestre da comunicação social, foi presidente da Associação Brasileira de Vídeo Popular.